Produzido pelo XR Global, o vídeo abaixo sumariza em 24 minutos a emergência em que nos encontramos, e qual é a abordagem do XR para lidarmos com o problema. Em versão presencial ou online (ou como aqui: em vídeo gravado), essa apresentação costuma ser a porta de entrada para o movimento.

Conteúdo mencionado no vídeo:

Exigências
1. Digam a verdade
Governos têm que dizer a verdade, declarando emergência climática e ecológica, e trabalhar com outras instituições para comunicar a urgência por mudanças.
2. Ajam agora
Governos têm que agir já para interromper o desmatamento de florestas nativas, a extinção de espécies e, até 2030, zerar a emissão de gases do efeito estufa.
3. Além da política
Governos devem criar e ser guiados por assembleias formadas por cidadãs(ãos), para que interesses comerciais e políticos não comprometam as medidas ambientais e sociais.
4. Transição justa
Medidas ambientais e de reparação devem dar prioridade aos mais vulneráveis e/ou marginalizados — como negros, indígenas e outros grupos vítimas de racismo e injustiças sociais — para criar um planeta justo e habitável para todos (demanda adicional criada nos EUA).

Valores
Qualquer pessoa ou grupo pode se organizar de forma autônoma e agir em nome do XR, desde que a ação se encaixe nos princípios e valores do movimento. Assim, o poder é descentralizado, não sendo preciso pedir autorização a um grupo ou autoridade central.
1. Compartilhamos a mudança que visualizamos
Criar um mundo adequado para as próximas sete gerações.
2. Concentramos nossa missão naquilo que é necessário
Mobilizar 3,5% da população afim de realizar uma mudança do nosso sistema — usando táticas como ’organização baseada em ímpeto coletivo’.
3. Precisamos de uma cultura regenerativa
Para criar uma cultura saudável, resistente e adaptável.
4. Desafiamos a nós mesmos e ao nosso sistema tóxico
Deixamos as nossas zonas de conforto ao tomar medidas para realizar mudanças.
5. Valorizamos a reflexão e o aprendizado
Seguindo um ciclo de ação, reflexão, aprendizado e planejamento de novas ações, aprendendo com outros movimentos e contextos, e nossas experiências.
6. Todos são bem-vindos, em todos os aspectos
Trabalhamos ativamente para criar espaços mais acessíveis e seguros.
7. Ativamente reduzimos estruturas de poder
Desmontamos as hierarquias para chegar a uma participação mais igualitária.
8. Evitamos culpar e envergonhar
Nós vivemos num sistema nocivo, mas a culpa não é de ninguém em particular.
9. Formamos uma rede não-violenta
Utilizamos estratégias e táticas não-violentas, o modo mais eficaz para efetivar mudanças.
10. Baseamo-nos em autonomia e descentralização
Criamos coletivamente as estruturas necessárias para contestar o poder.
-– Palestra sobre assembleias cidadãs (com opção de legenda em português):
https://www.youtube.com/watch?v=cUee1…